Blog / Centro de Estudos Holiste

Terrorismo, fanatismo e o transtorno mental | Vídeo Ciclo de Palestras

Centro de Estudos Holiste 21/01/2017

Demétrio Magnoli e Luiz Fernando Pedroso debateram sobre as tênues fronteiras entre terrorismo, fanatismo religioso e transtorno mental com uma plateia que reuniu psiquiatras, psicólogos, terapeutas, advogados e outros profissionais no terceiro evento do Ciclo de Palestras Holiste realizado em novembro/2016.

O evento gratuito foi aberto com uma palestra do médico psiquiatra, Luiz Fernando Pedroso, diretor clínico da Holiste sobre “Radicalismo Político e Transtorno Mental”, seguido pela palestra do sociólogo Demétrio Magnoli com o tema “Fanatismo Religioso”.  O evento encerrou-se com perguntas da plateia que foram moderadas pela psiquiatra Fabiana Nery e respondidas pelos palestrantes.

“O objetivo dessa noite é debater fatos para tentar trazer uma luz para um entendimento de uma questão que nem só a ciência política consegue explicar por ela mesmo, mas também a psiquiatria e a psicopatologia, de maneira isolada, não conseguem ter o compreendimento total de um fenômeno tão complexo como esse do fanatismo religioso ou o extremismo político”, explica Fabiana Nery, coordenadora do Centro de Estudos Holiste.

 

Confira o vídeo com os melhores momentos do evento.

 

RADICALISMO POLÍTICO E TRANSTORNOS MENTAIS

Luiz Fernando Pedroso, psiquiatra e diretor clínico da Holiste, alerta para o fato de que muitos dos atentados ou crimes violentos foram consequência de comportamentos paranoides e delirantes que não foram tratados a tempo.

 “Me causa muita perplexidade quando vejo notícias na mídia de comportamentos políticos radicais de pessoas que se explodiram para matar outros ou subiu no telhado atirou em metade da escola, e a mídia tenta explicar em termos de conflitos políticos, lutas ideológicas, manifestações de pensamento de direita ou esquerda.  E vejo uma grande omissão que é a doença mental”.

 

FANATISMO RELIGIOSO

Demétrio Magnoli destaca em sua fala o fato do ato terrorista ser em suma um ato político e uma ferramenta de propaganda para promover uma ideologia extremista.

O ato de terror é um ato politicamente motivado, pois ele visa uma finalidade política.   Intimidar por meio do terror e do pânico um governo ou uma autoridade política a fazer ou deixar de fazer alguma coisa.  As redes terroristas dizem que tem outro objetivo, que é convencer as pessoas de alguma coisa, ou seja, ele tem um objetivo que é o mais político de todos. 

O ato terrorista é um panfleto, um texto, um discurso, uma tentativa de persuadir uma parte da população de uma certa doutrina política.  O terror é, portanto, um ato de um grupo que se vê como minoritário e que precisa, na opinião dele, pelo exemplo dramático do ato de terror, atingir um público que sem ele não poderia ser atingido.  O terror é propaganda”, resume o sociólogo.

 

CICLO DE PALESTRAS HOLISTE

O Ciclo de Palestras Holiste já realizou nos meses de Julho e Setembro de 2016 palestras com o filósofo Luiz Felipe Pondé (Os desafios da Mudança); o psiquiatra Luiz Fernando Pedroso (Psiquiatria para Além da Medicina); a pesquisadora e sexóloga Carmita Abdo (Comportamento Sexual) e a médica psiquiatra Fabiana Nery (Sofrer por amor: Qual o limite?). A quarta edição do Ciclo de Palestras Holiste acontece dia 25/01 com os psiquiatras Jorge Forbes e André Gordilho.

Os interessados podem acompanhar a programação no site: www.holiste.com.br/palestras.

 

 

Comentários

Inscreva-se para receber conteúdo sobre Psiquiatria e Saúde Mental

Cadastrar