Blog / Notícias

A Telemedicina como aliada da Saúde Mental

Notícias 15/01/2019

A telemedicina é uma modalidade de atendimento que permite contato entre pacientes e profissionais de saúde em locais distantes.  Trata-se do uso das tecnologias de telecomunicações para o fornecimento de informações e atenção na área de saúde para pacientes ou outros profissionais na área da saúde.

“A Telemedicina traz novas possibilidades para os atendimentos na saúde mental.  Seja para orientações iniciais ou dar continuidade às consultas presenciais, a telemedicina facilita o acesso a pacientes que apresentem qualquer tipo de desconforto psíquico, sem a necessidade do deslocamento até o consultório, tornando-se uma ferramenta que facilita a criação ou manutenção do vínculo terapêutico”, explica o Ueliton Pereira, psicólogo e diretor técnico da Holiste.

Em relação aos transtornos mentais, muitas vezes os pacientes não procuram atendimento presencial por preconceito e falta de informação.  Dessa forma, a facilidade dos atendimentos via telemedicina pode ser uma grande aliada na busca por ajuda profissional.

“A praticidade pode estimular a mobilização de familiares ou pacientes que levariam anos para procurar auxílio profissional. Abreviar a busca de ajuda melhora o prognóstico e evita o prejuízo das rotinas ocupacionais e sociais”, explica o psiquiatra Victor Pablo.

 

 PROGRAMA HOLISTE DE TELEMEDICINA

O serviço de telemedicina da Holiste permite que pacientes de qualquer lugar do mundo tenham acesso à assistência psiquiátrica e psicológica de referência.

Os atendimentos acontecem no formato de Orientações Terapêuticas, através de vídeo conferência, sendo necessário apenas uma câmera, microfone e um dispositivo com acesso à internet (smartphone, computador, notebook ou tablets).

Atualmente, 03 especialidades estão disponíveis para o atendimento a distância: Psiquiatria, Psicologia (adulto e infanto-juvenil) e Psicopedagogia.

As orientações terapêuticas à distância são indicadas para qualquer pessoa que esteja lidando com algum tipo de desconforto psíquico, ou até mesmo familiares e cuidadores que necessitem de informações sobre o manejo de pacientes psiquiátricos.

O serviço de Telemedicina da Holiste pode ser utilizado para dar continuidade as consultas presenciais ou para orientações iniciais.

“Esse primeiro contato pode proporcionar a formação de um vínculo terapêutico com o profissional, fator fundamental para a continuidade do tratamento e evitar o agravamento do quadro, o que muitas vezes ocorre pela demora em buscar ajuda ou pelo abandono do plano terapêutico”, completa o Dr. Victor Pablo.

Através do serviço, também é possível que familiares de pacientes internados na Holiste possam conversar com a equipe terapêutica responsável pelo caso.

“Os recursos da telemedicina visam complementar o atendimento convencional, e tem melhor aplicação para alguns casos específicos.   De qualquer forma, vale sempre lembrar que o recurso mais importante no atendimento é o vínculo terapêutico entre o indivíduo e o profissional que o acompanha”, destaca o psiquiatra.

banner-telemedicina

 

TELEMEDICINA EM CONSTANTE EVOLUÇÃO

O termo Telemedicina é um termo cunhado nos anos 70 que abrange toda prática médica realizada à distância, independente da ferramenta utilizada (telefone, fax, vídeo, internet, tablets, smartphones, robôs e etc).  Já a Telesaúde (também muito utilizado) amplia o conceito e vai além da medicina, incluindo os cuidados prestados por outros profissionais de saúde, como psicólogos, enfermeiros, etc. Os dois termos, porém, são utilizados como sinônimos na literatura.

Segundo a OMS (Organização Mundial da Saúde), o termo significa literalmente “curar à distância”.  A organização também adota uma definição mais ampla:

“A prestação de serviços de saúde, onde a distância é um fator crítico, por todos os profissionais de saúde que utilizam tecnologias de informação e comunicação para a troca de informações válidas para diagnóstico, tratamento e prevenção de doenças e lesões, pesquisa e avaliação, e para a educação continuada dos prestadores de cuidados de saúde, tudo no interesse do avanço da saúde dos indivíduos e suas comunidades ”.

Com o uso das tecnologias de comunicação, que trazem velocidade no contato, é possivel ampliar a ação dos profissionais de saúde de centros de referência com pessoas localizadas distantes.  Suas principais aplicações são: Laudos a distância, Teleducação, Teleassistência e Teleconsulta.

A Telemedicina já é realidade em muitos países, sendo regulada pelo órgão norte americano ATA (American Telemedicine Association), por leis nacionais e conselhos de medicina.  No Brasil, existe uma forte mobilização de instituições e empresas de saúde e órgãos reguladores que vem fazendo um esforço ativo para a promoção, a disseminação e o desenvolvimento de mais programas de assistência e cooperação remota em saúde.

 

 

Comentários

Inscreva-se para receber conteúdo sobre Psiquiatria e Saúde Mental

Cadastrar