Blog / Suicídio

Setembro Amarelo alerta para a prevenção do Suicídio

Suicídio 10/09/2018
Entrevista Jornal A Tarde

O suicídio causa milhões de vítimas em todo mundo.  Com o objetivo de chamar a atenção da população para o tema, foi criado o Dia Mundial da Prevenção do Suicídio – 10 de setembro – e diversas ações de conscientização são realizadas durante todo mês, o chamado Setembro Amarelo.

Livia Castelo Branco, psiquiatra da Holiste, participou da matéria especial do Jornal A Tarde, onde destacou a importância da comunicação como ferramenta de prevenção do suicídio.

“Existe o mito de que é melhor não falar.  É preciso quebrar esse tabu, quando se conversa, as pessoas se sentem acolhidas.  Converse, Acompanhe, Proteja e Busque ajuda profissional, são 04 dicas simples que fazem uma grande diferença”, explica a psiquiatra.

 

FATORES DE RISCO

Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), mais de 800 mil pessoas no mundo tiram a própria vida por ano, no Brasil, estima-se algo em torno de 11 mil suicídios anualmente.  É a segunda maior causa de morte entre jovens de 15 a 29 anos no mundo e a quarta no Brasil.

O suicídio envolve todas as faixas etárias, sendo que em algumas a incidência é maior – como adultos jovens – mas vem crescendo de forma expressiva em crianças, adolescentes e idosos.

“No caso da terceira idade, o suicídio é influenciado por conta das perdas frequentes de parentes, menor apoio social, presença de doenças físicas, mudanças na autonomia e mobilidade e aumento do risco de quadros depressivos.  Todos esses fatores aumentam o risco para o suicídio, devido ao sentimento de desesperança”, explica a Dra. Livia.

Transtornos mentais como a depressão, são fatores que frequentemente estão associados ao suicídio.  Na avalição feita pelo profissional especializado é analisado se o paciente pensa em se matar, com que frequência e se tem fácil acesso a meios para executar o ato, como armas e remédios.  Além disso, existem outras questões envolvida como a ansiedade e características de personalidade.

“Também é verificada se ela tem uma rede de apoio na família, se já faz atendimento psiquiátrico e tratamento e há quanto tempo”, encerra a psiquiatra.

ASSISTA AO VÍDEO SUICÍDIO NA PONTA DO LÁPIS

 

CONFIRA A MATÉRIA COMPLETA DO JORNAL A TARDE

Matéria do Jornal A Tarde, 09 de setembro

 

Comentários

Inscreva-se para receber conteúdo sobre Psiquiatria e Saúde Mental

Cadastrar