Blog / Notícias

Rompendo padrões – a jovialidade das mulheres de cinquenta | Jornal Correio

Notícias 19/02/2018
Psicóloga Ethel Poll

A psicóloga Ethel Poll e o psiquiatra André Gordilho falaram sobre as “Cinquentonas” para a repórter Carmen Vasconcelos do jornal Correio.

Com a auto estima trabalhada e realizadas profissionalmente, as mulheres na faixa dos 50 anos vivem uma outra realidade que as gerações anteriores, onde completar 40 anos era símbolo de uma vida familiar consolidada, com casamento, filhos, netos e, com sorte, uma vida profissional em fase de aposentadoria. Com o aumento da expectativa de vida, as mulheres que vivem a década dos 50, talvez tenham uma vida familiar consolidada, mas não é só isso que as move. Elas estão cheias de planos, com a auto estima bem trabalhada, casadas ou não, com filhos ou não, parecem amar a maturidade e a beleza que chega na chamada meia idade.

 

JOVIALIDADE É FRUTO DE CONQUISTAS

A psicóloga Ethel Poll, da Clínica Holiste, acredita que a jovialidade das mulheres de hoje está na capacidade de romper padrões sem medo, de lutar por seus direitos, de bancar emocionalmente suas escolhas, desde ser uma ótima dona de casa, até uma notável empresária.

“Essa jovialidade é fruto de conquistas que fazem com que cada mulher reconheça a importância do seu papel social e na capacidade de administrar, de forma saudável, cada aspecto de sua vida”, diz.

Ela destaca que chegar bem à maturidade é reflexo das escolhas que se faz na juventude . “É toda uma vida que agora cobra seu preço. Se foram exigentes demais ou displicentes em excesso,  não cultivaram amigos, se não investiram em trabalho, se não cuidaram da vida amorosa,  não priorizaram a família, se negaram seus desejos vão ter que se deparar com o saldo desta retrospectiva, que nem sempre é fácil”, pontua, destacando que sentimentos como culpa, arrependimentos, frustrações podem aparecer de forma muita intensa, gerando forte sentimento de tristeza, apatia até angústia e depressão.

“Estas questões psicológicas e emocionais têm forte impacto sobre o bem-estar nesta fase da vida. Estar advertida disso é um importante passo para buscar ajuda especializada. Investir num espaço de fala pode ajudar muito a superar algumas dificuldades”, completa, ressaltando que nessa fase da vida, já muito se sabe sobre si mesma, sendo o momento propício para viver bem.

 

ALTERAÇÕES FÍSICAS E PSICOLÓGICAS

O psiquiatra André Gordilho destaca que, geralmente nessa idade, a mulher está no climatério e, neste período, acontece a menopausa, que é a cessação da menstruação.

“Neste período, em especial na pré menopausa, a mulher sofre alterações físicas e psíquicas que podem influenciar sua vida. O modo de encarar o envelhecimento também é fundamental na manutenção da jovialidade”, diz, ressaltando que junto com os fogachos e alterações hormonais, há também maior incidência de tristeza, desanimo irritabilidade e labilidade emocional.

“É sempre importante avaliar a mulher ao longo de sua história de vida, pois assim é possível individualizar o atendimento e suas necessidades. Além do tratamento médico visando melhorar as oscilações e problemas de humor e ansiedade característicos deste período, é interessante um trabalho psicoterápico associado visando trabalhar as necessidades individuais de cada mulher”.

LEIA A MATÉRIA COMPLETA NO SITE DO CORREIO: CINQUENTONAS MOSTRAM QUE A MEIA IDADE PODE REPRESENTAR REDESCOBERTAS 
Cinquentonas-Jornal Correio

Comentários

Inscreva-se para receber conteúdo sobre Psiquiatria e Saúde Mental

Cadastrar