Blog / Centro de Estudos Holiste

Felicidade, Tristeza e Sofrimento | Ciclo de Palestras Holiste

Centro de Estudos Holiste 30/01/2017

Em sua 4ª edição, o Ciclo de Palestras Holiste recebeu os psiquiatras Jorge Forbes e André Gordilho que falaram para uma grande plateia sobre os dilemas da felicidade, da tristeza e todas as angústias em torno desses sentimentos.

O evento reuniu profissionais da área da saúde mental, como psiquiatras, psicólogos e psicanalistas e além de um grande número de estudantes e pessoas de diversas áreas interessadas nas palestras.

 

 

FELICIDADE E SOFRIMENTO

“Estamos vivendo uma inflação de felicidade. Uma busca à manuais de como ser feliz”, afirmou o psicanalista e psiquiatra Jorge Forbes. Doutor em Teoria Psicanalítica pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) e em Ciências pela Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (USP), Forbes iniciou a palestra citando frases típicas de livros de autoajuda, que atribui a felicidade a um merecimento, como se fosse um exercício para ser feliz.

“Os livros de autoajuda são um engodo em si. Se você quer um livro de autoajuda, escreva um”, aconselhou Forbes.

Durante a palestra, que debateu “O conceito de felicidade e o papel do sofrimento”, ressaltou que vivemos nos últimos 30 anos uma revolução comportamental maior do que há três mil anos. “A pós-modernidade nos deu uma liberdade com a qual não sabemos lidar”.

 

TRISTEZA E DEPRESSÃO

O evento foi aberto com uma palestra do psiquiatra André Gordilho que abordou o tema “Tristeza e Depressão: como diferenciar?”.

“É normal e saudável vivermos momentos de tristeza. A tristeza vai ajudar a reforçar o nosso caráter. O sofrimento, dependendo do grau, é fundamental para a formação da personalidade”, garante.

O especialista em Psiquiatria pela Associação Brasileira de Psiquiatria e Mestre em Medicina e Saúde Humana, explicou que no diagnóstico da depressão três fatores dever ser observados. O primeiro fator são os sintomas psíquicos, como humor, desesperança e fadiga ou sensação de perda de energia; o segundo fator a ser avaliado são os sintomas fisiológicos, a exemplo de alterações do sono, apetite e redução do interesse sexual; e o terceiro fator são as evidências comportamentais, tais como, retração social, agitação psicomotora, crises de choro e comportamentos suicidas.

O médico psiquiatra da Holiste lembrou, ainda, que a depressão é a primeira causa de incapacitação entre todas as doenças médicas, inclusive, entre as doenças cardiovasculares, de acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS).

“O impacto econômico da depressão também é grande. Esse transtorno tem custos econômicos elevadíssimos. Análises recentes, mostram que nos Estados Unidos os custos estimados com a depressão giram em torno de 83 bilhões de dólares por ano, com custos diretos e indiretos, como absenteísmo e perda da produtividade”, adverte Gordilho.

Ainda segundo estatísticas da OMS, 15% da população mundial em algum momento da vida vai deprimir. Segundo o especialista da Holiste, levantamentos afirmam que um entre sete pacientes com depressão acabam se suicidando.

“É a regra dos setes. Setenta por cento dos suicidas têm doença depressiva grave, 70% consultam seu clínico geral seis semanas antes de tentarem o suicídio, que é a sétima causa de morte nos Estados Unidos, sendo que entre os adultos jovens está entre a primeiro e a segunda causa de morte, competindo com os acidentes”, comenta Gordilho.

Saiba mais sobre a Depressão.

 

GRANDES PENSADORES

O Ciclo de Palestras Holiste é promovido pelo Centro de Estudos Holiste e já realizou três edições, nos meses de julho, setembro e novembro de 2016, reunindo psiquiatras, psicólogos e outros profissionais da saúde mental.

O evento já contou com palestras do filósofo Luiz Felipe Pondé (Os desafios da Mudança); da pesquisadora Carmita Abdo (Comportamento Sexual); do sociólogo Demétrio Magnoli (Fanatismo religioso); do psiquiatra Luiz Fernando Pedroso (Psiquiatria para Além da Medicina e Radicalismo Político e Transtorno Mental) e da médica psiquiatra Fabiana Nery (Sofrer por amor: Qual o limite?).

Comentários

Inscreva-se para receber conteúdo sobre Psiquiatria e Saúde Mental

Cadastrar