Blog / Notícias

COMO FALAR DA PANDEMIA COM AS CRIANÇAS

Notícias 25/05/2020

Em entrevista à rádio Sociedade, a psicóloga Daniela Araújo explica como os pais podem conversar com as crianças sobre a pandemia.

Não é uma tarefa fácil enfrentar o período de pandemia quando se tem crianças em casa. Elas podem ficar mais agitadas, impacientes, e os pais acabam ficando com poucos recursos para entretê-las, já que sair de casa não é possível.

Explicar esse momento para os pequenos requer uma boa dose de diálogo, criatividade e atenção aos sentimentos deles. Para Daniela Araújo, psicóloga e coordenadora do Núcleo Infantojuvenil da Holiste, esse é um tema que precisa ser abordado:

“É preciso aproveitar esses momentos para conversar, colocar as palavras em ordem, e tentar arrumar o que está acontecendo. Conversar de acordo com a linguagem deles”, explica a psicóloga.

Assista à entrevista:

Preocupação dos pais

Sem entender a razão para não sair de casa, as crianças começam a ficar angustiadas. Além disso, muitas vezes os pais transmitem suas ansiedades para os filhos. De acordo com a psicóloga, passar essa preocupação para os filhos é quase inevitável, porque os pais também expressam seus próprios sentimentos. No entanto, ela afirma que é preciso conversar a respeito:

“É preciso que haja o reconhecimento do medo dessa criança. Explicar que não é fácil, mas poder falar sobre isso, simbolizando o máximo possível para que não fiquem apenas os monstrinhos criando na cabeça”, destaca Daniela.

Como explicar a morte

Nesse momento, a calma deve ser a maior aliada dos pais para organizar as emoções e pensamentos. O luto é uma experiência difícil de vivenciar e, diante desse período de incertezas e possibilidade de morte, o medo acaba se instalando, o que deixa o processo ainda mais complicado.

“Já não está sendo fácil para os adultos, imagine para as crianças. Essas informações ainda não são realidades da criança, mas é preciso falar se a morte chegar a ser a realidade dela”, defende a especialista.

A psicóloga ainda salienta o cuidado com o excesso de informações. Para ela, pode ser exaustivo se deparar o tempo todo com tantas informações.

Comentários

Inscreva-se para receber conteúdo sobre Psiquiatria e Saúde Mental

Cadastrar