Blog / Notícias

Até quando a ansiedade é normal? | Entrevista Dra. Fabiana Nery

Notícias 01/02/2019
Entrevista sobre Ansiedade com Dra. Fabiana Nery

Recente pesquisa da Organização Mundial da Saúde apontou o Brasil como o país mais ansioso do mundo. O relatório registrou que 19 milhões de brasileiros manifestam o quadro que engloba ataques de pânico, transtorno obsessivo-compulsivo, fobias e estresse pós-traumático.

Em entrevista a rádio Metrópole, a psiquiatra Fabiana Nery abordou o tema e falou sobre as principais características, sintomas e tratamento dos Transtornos de Ansiedade.

 

“A ansiedade é um sentimento normal e natural. Pode não ser um sentimento agradável, mas é extremamente necessário. É como o medo, não gostamos de sentir, mas é um sentimento importante. Sem o medo a gente arriscaria mais, a gente se machucaria mais e até a sobrevivência da espécie estaria ameaçada. Fazendo este paralelo, mesmo a ansiedade gerando desconforto em muitos momentos, ela é a mola propulsora da vida e faz com que os indivíduos saiam de suas zonas de conforto”, pontua.

Para Fabiana o importante é distinguir a ansiedade comum daquela considerada patológica. “Quando se fala em transtorno de ansiedade, fala-se de algo que ultrapassou o normal, o aceitável, ou seja, já é considerado um exagero e normalmente está relacionado a um prejuízo”.

Os diversos transtornos

Percebe-se que a ansiedade é um sentimento comum a todos e que faz parte da rotina dos indivíduos. Mas, quando ela surge sem qualquer motivo aparente, ou quando é desproporcional ao que seria adequado à situação futura, durando dias, meses, criando uma sensação de angústia constante e atrapalhando o curso normal da vida diária, é sinal de que um transtorno de ansiedade pode estar se desenvolvendo.

Estatísticas apontam que ao menos 1 entre cada 5 indivíduos possuem algum tipo de transtorno de ansiedade. A psiquiatra explica ainda que existem diversos tipos de transtornos de ansiedade e eles podem se apresentar de maneiras diferentes em cada pessoa também.

Os transtornos de ansiedade mais comum são as Fobias, que geralmente são relacionadas a um medo irracional de alguma coisa, como por exemplo, os indivíduos que têm aversão a aranhas. Essas pessoas não conseguem nem ver uma foto do animal sem que sintam angústia ou desconforto.

Outro tipo de transtorno de ansiedade bem comum é o Transtorno de Ansiedade Generalizada (TAG). Ele é caracterizado por aquele indivíduo que se preocupa com tudo o tempo inteiro e antecipa sempre as preocupações. Essa preocupação excessiva causa sofrimento, angústia e prejuízo.

Existe também o Estresse Pós-traumático que é secundário a uma vivência traumática, na qual normalmente colocou a vida do indivíduo ou de familiares em risco. Neste transtorno é comum que a pessoa tenha “flashbacks” do trauma vivido e as crises de ansiedade iniciem-se a partir destas lembranças.

Dra. Fabiana destaca que “apesar dos diferentes tipos de transtornos de ansiedade apresentarem características específicas, eles podem se manifestar de forma diferente em cada indivíduo. Ou seja, é algo bastante particular em cada caso”.

Quando buscar ajuda profissional

Questionada sobre qual o momento necessário de buscar ajuda profissional, Dra. Fabiana explica “É preciso a intervenção de um profissional quando a pessoa começa a deixar de realizar certas atividades por conta da ansiedade ou quando aquela ansiedade está atrapalhando o indivíduo em certas áreas da vida. Sintomas como alteração do sono, sensação de alerta ou tensão o tempo todo, cansaço físico/mental e condutas de evitação também são indícios de um transtorno de ansiedade”.  

A médica ainda ressalta que as condutas de evitação mascaram o problema e dificultam a busca por ajuda. “O indivíduo identifica que possui medo, angústia e ansiedade em determinadas situações e vai passar a evita-las afim de não sentir o desconforto. Aparentemente, se a pessoa não passa por aquela situação, ela irá se sentir confortável. Mas, se olharmos melhor, a vida daquele sujeito estará sempre limitada e cerceada por conta de um transtorno de ansiedade”.

Como funciona o tratamento

A intervenção médica será realizada analisando caso a caso e elaborada de forma personalizada para cada paciente. O tratamento poderá constar o uso de medicamentos, orientado pelo médio-psiquiatra; o tratamento psicológico realizado através de psicólogos e terapeutas; além disso, exercícios físicos e atividades de relaxamento como meditação e ioga também são indicados.

“Tudo irá depender do tipo de transtorno de ansiedade, quais sintomas o paciente está apresentando, o tipo de personalidade e ambiente que o indivíduo está inserido, além disso irá depender também da intensidade dos sintomas”, conclui a psiquiatra.

Comentários

Inscreva-se para receber conteúdo sobre Psiquiatria e Saúde Mental

Cadastrar